( Reblog do: Hood Pope Shit )

1 year ago, 26 de Aug de 2012 ás 12:32 PM 7 notes Reblog este post

( Reblog do: Creative Fame )

1 year ago, 26 de Aug de 2012 ás 12:32 PM 32 notes Reblog este post


marshallmathersrocksmyworld:

Lose Yourself | New York

( Reblog do: self killer )

1 year ago, 26 de Aug de 2012 ás 12:29 PM 519 notes Reblog este post

( Reblog do: )

1 year ago, 26 de Aug de 2012 ás 12:29 PM 195 notes Reblog este post

do-que-valem-osdreads:

Fico triste de ver meu Deus chorar e de tanta coisa errada muitas mágoas de tempos passados que não dá pra esquecer Coisa que fazemos e não nos lembramos mais …

do-que-valem-osdreads:

Fico triste de ver meu Deus chorar e de tanta coisa errada muitas mágoas de tempos passados que não dá pra esquecer Coisa que fazemos e não nos lembramos mais …

( Reblog do: PositivaMente )

1 year ago, 26 de Aug de 2012 ás 12:24 PM 72 notes Reblog este post

Vale das ilusões

1 year ago, 21 de Aug de 2012 ás 04:40:22 PM

O palhaço gargalha, disfarça, a tristesa num sorriso de tinta.

Pois quem pinta a vida no farol, sabe que a necessidade não brinca.

E complica, sonhar as ilusões da vida sem querer chorar.

No vale das ilusões, é doloroso caminhar e estar.

Em quem devo acreditar? pra mim eles são todos ladrões.

Pois ontem vi, entrei, estudei em uma escola com assombrações.

Estudei em uma escola, chamada, apelidada de sofrimento.

Onde o unico aluno, é meu coração aqui dentro.

Aqui não tem arvorés tem prédios, empresas visando lucro.

Nas ruas por estas estradas, caminha um povo ignorante e burro.

Uns sem compaixão, outros viciados, estes sem escolaridade.

O céu está cinza, de poluição, neste vale sem biodversidade.

E o rio, que aqui se preservavá, virou dejétos do povo tumultuado.

Que chora, orá, batalha e esquiva, neste quadro negro assombrado.

Aqui existe um sistema, um esquema, chamado só eu lucro.

Foda-se a natureza, foda-se meu irmão, foda-se se você é burro.

Toda individualidade e todo egoismo chove destas nuvens.

O vale da ilusão chora e encherga a casa dos pais jovens.

Aqui é como no deserto, derreto-me de dia e de noite congelo.

Pra quem não tem companhia, basta chorar andarilho singélo.

É viciados em dinheiro, viciado em armas, viciados em drogras.

Enquanto faltam carteiras, livros, saneamento em varias escolas.

E o palhaço gargalha, disfarça, a tristesa num sorriso de tinta.

Fazendo malabares no farol,  queimando tipo faísca de agonia.

A criança que não brinca, amanhã vai trabalhar cedo.

Neste vale, o trabalho infantil, é tanto que me da medo …

Quem serão eles amanhã? Escravos da necessidade.

Vão aprender a atirar, a flagelar, se tornaram um novo Bin Laden.

Com crueldade, se tornarão mais um fantasma pra estar,

De pé, sem fome, com roupa sem o caderno pra estudar.

Enquanto o homem viza seu lucro, suas todas vaidades.

Eu vizo um vale encantado sem estás verdades.

Não é ilusão sonhar e acreditar em um mundo melhor,

Pois a esperança da revolução é a força maior.

Quem sabe um dia, o palhaço poderá estar no circo.

Sem ter que se preocupar tanto, com o leite do seu filho …

Porém hoje,

O palhaço gargalha, disfarça, a tristesa num sorriso de tinta.

Pois quem pinta a vida no farol, sabe que a necessidade não brinca.

Matheus Silva


Reblog este post

Zumbis

1 year ago, 14 de Aug de 2012 ás 03:22:59 PM

Zumbis

Munido de cegueira com muita rejeição,

Dependente de química e consumação.

Em meio às multidões crucificadas ao chão.

Selva de pedra trafica e ilusão.

Do cachimbo pra dentro, pra fora um alivio,

Olhares fixos te enxergam em morto vivo.

Sem amigo, ou talvez melhor um traficante.

Aqueles caveiroso que paga mais no estante.

Com semblante negro, aroma orgânico.

Consumindo a luz da lua em frenesi e pânico.

Satânico, sem alguma luz divina.

O lobo abandonado por sua matilha.

O abandonado conheceu a pedra.

Aquilo que para os reis, não passa de comédia.

Aquilo que pra mim, é terror e tragédia.

Milhares de brasileiros viciados, em média.

Versos sóbrios, que vai de denuncia pro moleque,

Cujo sua brincadeira é click clack crack.

A noite cai, e o zumbi vai cachimbar.

A dívida nasce, e ele precisa assombrar.

Ele vai correr atrás de algo para dar em troca.

Do fantasma, do vicio, da droga.

Esmola cola dente podre e verme.

Doença agressiva que sequestra e fere.

É o vicio que faz falar nada com nada.

É um vicio? Não isso é uma praga!

É um problema social que o homem traga.

Um bicho venenoso, mais mortal que bala.

Na calada da noite ele vai assustar.

Se o traficante não parar de sustentar.

Mas ele precisa vender, pois não tem escola.

Vende craque, cocaína, maconha e cola…

Um problema gera outro veja só,

Precisamos ter atitude e não dó.

Eles não estão sós, o rei é responsável.

De abrigo rei, para o viciado miserável…

Cracolândia ou Zumbilândia? Não.

Ver viciado por aqui já virou excursão.

Eles mereciam estar no paraíso…

Eles não mereciam isso…

Matheus Silva


Reblog este post

(Source: tapedup)

( Reblog do: paranoia )

1 year ago, 14 de Aug de 2012 ás 08:31 AM 533 notes Reblog este post

(Source: 5dakika-daha-anne)

( Reblog do: paranoia )

1 year ago, 14 de Aug de 2012 ás 08:30 AM 7,935 notes Reblog este post

Página 5 de 105 Anterior 3 4 5 6 7 Próxima

Se eu pudesse voar, escreveria um rap nas nuvens para mostrar o que desejo, todos iriam ler. Tempos de felicidade, miséria pra ninguem , sorrisos em todos os rostos, fim das guerras, inicio de um tempo de paz e honestidade, pois mentiras fodem todos nós. Mas não posso voar. Então, escrevo poesia em cima dos beats, para mostrar o que desejo. Ritmo e poesia por Matheus Silva. Rap, Reggae, Grafite, Old School. Jundiaí-Sp Brasil. 17 anos. By: @maatheussl_
Muzicons.com

- Turma do Ghetto Tema feito por Matheus Bastos. visitas Você já visitou aqui: vezes